Category Archives: Confissões

Dias de indiferença

Standard

Há-os. Muitos. Demais. Em relação a muita coisa e muitas pessoas. Não sei se quero saber o que isto revela de mim…

Advertisements

Confissão maternal

Standard

Qualquer adulto que lide prazenteiramente com crianças sabe que estas pensam que os seus progenitores são omniscientes e daí a quantidade infindável de “porquê isto, porquê aquilo”. Ora qualquer pai e mãe não precisa de o ser para saber que de omnisciente pouco temos. Daí a minha sensação de “fracasso”, às vezes de burrice mesmo, quando a minha resposta é “não sei”. O problema é que fico mesmo a matutar naquilo e a pensar com os meus botões que deveria ter estado mais atenta a certas aulas de Ciências Naturais e até de Físico-Química.

Self-reflection

Standard

“Amazing how easily I can talk to complete strangers and open up about more private affairs. What I think most do in their daily lives, with their friends, relatives, close ones, I seem to be doing faster with unknown ones. The fact that it’s been happening for many years now just confirms my dual side personality. Have I regretted any of this? No, I have not. Actually, it has allowed me to get to know myself a lot better and what I want and need in many areas of my personal life. Will it go on? Most likely, as it makes up for what I lack and am unable to do. Is it right? Maybe not, but it’s how things stand right now and I feel happy this way.”

Para O Gajo

Standard

Gajo, eu venero-te. E tu sabes disto. Ao menos escreve um livro para que o possa colocar debaixo da minha almofada e dormir bem agarradinha a ele e sentir-lhe o cheiro e pensar que ainda há muito por desvendar.

(Nota: quem ler isto, não venha cá com comentários javardolas ou dúbios. É ler e calar o bico, sim?)